19012018luissal-marinho-natural-sem-iodo

O risco do sal para o idoso

Nutricionista da Cora Residencial ensina como substituir o sódio sem perder o sabor dos alimentos

Redação/Hourpress

Um dos temperos mais utilizados em todo o mundo, o sal também é um dos principais agentes causadores de alguns problemas de saúde. Por isso, em todo o mundo sempre há campanhas de conscientização de consumi-lo com moderação. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o ideal é que a ingestão de sódio por dia não ultrapasse 2g (uma colher de café rasa). No Brasil, a média é mais do que o dobro: 4,7g/dia. “O paladar do brasileiro já é tendencioso para comidas mais salgadas. Só que, com o tempo, os prejuízos do grande consumo de sódio são diagnosticados, como pressão alta e problemas renais, que afetam, principalmente, os idosos”, explica Milena Maffei Volpini, coordenadora de nutrição da Cora Residencial Senior.

O estudo “Heart Disease and Stroke Statistics” (Estatísticas sobre Doenças Cardíacas e Infartos), da American Heart Association, apontou que durante os anos de 2001 e 2011, a taxa de morte por hipertensão, aumentou 13,2% nos mais de 190 países pesquisados. “Diversos fatores favorecem a elevação da pressão, como aumento da idade, excesso de peso, tabagismo, uso excessivo de bebida alcóolica, sedentarismo e o uso abusivo do sódio”, afirma Rodrigo da Costa, Geriatra da Cora Residencial Senior.

O consumo excessivo de sal é prejudicial em qualquer idade, mas os riscos são maiores nas pessoas idosas, pois se trata da faixa etária em que há um número maior de doenças clínicas. Segundo a OMS, a hipertensão arterial atinge 30% da população adulta brasileira. Na terceira idade, este número passa para 50%. “A nossa preocupação é que o número de crianças e adolescentes já com pressão alta vem crescendo. E os riscos à saúde relacionado ao aumento da pressão arterial a longo prazo são tenebrosos e trazem consequências graves aos idosos, fazendo com que tenha um maior risco de: AVC, infarto, angina, demência, insuficiência renal, obstrução das artérias das pernas, insuficiência cardíaca e perda visual por lesão na retina”, alerta Costa.

Conscientização

De acordo com um levantamento realizado pela Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), pouco mais de 20% dos hipertensos controlam adequadamente a hipertensão arterial. E este controle, de acordo com Milena, não deve ser apenas com medicações, mas também a conscientização do uso adequado do sal e uma alimentação correta ajudam a amenizar os índices de pressão. “O aumento do consumo de sal na terceira idade é compreensível, já que, ao passar dos anos, perdemos a sensibilidade aos sabores. Para dar mais gosto a comida sem aumentar o sal, o ideal é preparar temperos naturais.”

Na Cora, além das famílias já terem indicações médicas sobre o consumo de sal, as nutricionistas sempre acompanham as refeições oferecidas e, por meio das avaliações nutricionais que são feitas, realizam orientações nutricionais individuais de acordo com a necessidade de cada residente. Outra estratégia da Cora é não disponibilizar saleiros nas mesas, assim, não incentiva os residentes a adicionarem mais sal nas preparações.

Existem alguns temperos que podem substituir o sal, como pimenta, orégano, noz moscada, louro, limão, gengibre, coentro, cebolinha, cominho, canela, alecrim e alho, mas é preciso ficar atento, já que alguns destes condimentos podem trazer outros problemas para saúde. “Se o idoso apresentar gastrite, por exemplo, pode haver uma irritação no trato gastrointestinal. E sempre há o risco de algum tipo de alergia. Por isso, é preciso sempre verificar qual tipo de tempero que pode ser utilizado em cada refeição”, alerta Milena.

Dicas da nutricionista

Nem sempre é fácil diminuir o consumo de sal no dia a dia, mas há algumas dicas que podemos seguir:

  • Nunca deixar o saleiro a mesa; 
  •      Utilizar temperos naturais e ervas secas e frescas para temperar;
  • Fazer sal de ervas; 
  • Evitar produtos enlatados e embutidos; 
  • Preferir o consumo de queijos brancos aos amarelos.

 

Bouquet garni (conjunto de ervas aromáticas para temperar pratos e molhos)

Ingredientes

1 folha de alho-poró

1 folha de louro

1 ramo de alecrim

1 ramo de tomilho

5 ramos de salsinha

Modo de preparo

Enrole a folha de alho-poró ao redor do louro, do alecrim, do tomilho e dos ramos de salsinha. Amarre com um barbante culinário, formando um bouquet, e acrescente em sua preparação. Após o término do cozimento, retire o bouquet.


Sal de ervas

Ingredientes

10 g de alecrim

25 g de manjericão

15 g de orégano

10 g de salsinha

100 g de sal marinho

Modo de preparo

Bata os ingredientes no liquidificador. Guarde em pote de vidro bem fechado. Utilize no lugar do sal comum.

Sobre a Cora

A Cora foi criada em 2015 para oferecer um residencial sênior moderno e romper com as ideias e modelos das antigas casas de repouso. Administrada pela empresa Brasil Senior Living (BSL), tem como objetivo revolucionar o conceito de instituição de longa permanência, com uma experiência única de cuidado, carinho e acolhimento. Entre os diferenciais estão a localização das unidades em regiões estratégicas da cidade, a estrutura projetada e construída para atender às necessidades dos idosos, a visita aberta a qualquer hora do dia, o atendimento assistencial 24 horas e os serviços de qualidade com terapias modernas e atualizadas.

As unidades Campo Belo, Villa Lobos, Jardins, Ipiranga, Tatuapé e Higienópolis oferecem mais de mil leitos, com assistência 24 horas e serviços de ginástica em grupo, aula de teatro, cinema, salão de beleza e muito mais.

Endereços:

Higienópolis – Rua Marquês de Itu, 816

Campo Belo – Rua Demóstenes, 748

Ipiranga – Rua Antônio Marcondes, 427

Jardins – Rua Leôncio de Carvalho, 98

Tatuapé – Rua Azevedo Soares, 21

Villa Lobos – Rua Professora Helena Moura Lacerda, 131

Mais informações: www.coraresidencial.com.br

Deixe uma resposta